Menu

Subtema 3ª série 2022

“Se oriente, rapaz!’:  a aranha vive do que tece ou um galo sozinho não tece o amanhã.”

Ori, em iorubá, significa cabeça, ou, ainda,  um conceito metafísico-espiritual que rege nosso destino… Que, em nossa jornada no aiyê, a nobreza dos grupos étnicos seja ORIentada pelos valores fundamentais que nos desafiam a sermos um e que estão assentados, por exemplo, no Ubuntuísmo, quer seja na circularidade, na oralidade, no cooperativismo/comunitarismo, na territorialidade/o território, na musicalidade, na energia vital (Axé), na religiosidade, na ancestralidade, na ludicidade, na corporeidade, na ética comunitária, quer seja na memória. 

Por outro viés, há que se “lutar pelo direito de sermos iguais quando a nossa diferença nos inferioriza e de sermos diferentes quando a nossa igualdade nos descaracteriza…” (Boaventura de Sousa Santos). Logo, “se você não faz parte da solução, então você faz parte do problema” (Malcolm X)

As pontes (in)visíveis que atravessamos e nos atravessam são caminhos de uma única jornada ontológica ou do que dizem Gil, Emicida e Krenak:  “viver é partir, voltar e repartir”.    

Em cena a Igualdade, a Equidade e a Justiça Social ou quando acreditar não é uma luta em vão.  Vamos lá, 3ª série?

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

VEJA TAMBÉM